O segundo dia amanheceu bem mais cinzento e com bastante probabilidade de chuva, mas como estávamos no Porto para aproveitar a cidade, saímos de casa e lá fomos nós até ao Mercado do Bolhão.

Claro que não podia faltar, é uma das coisas que mais gosto de visitar em todos os lugares onde vou, os mercados locais, e o tradicional Mercado do Bolhão não podia faltar, confesso que achava que ia encontrar um mercado mais bem cuidado, achava mesmo que as obras já tinham acontecido (my mistake) e é uma pena ver um mercado como aquele assim, mas não é por isso que deixa de ter a sua beleza e bastante vida, afinal é ali que muitas das pessoas ainda fazem as suas compras regulares.

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Saindo do Bolhão fomos a caminhar pelas ruas até encontrar a Avenida dos Aliados e nos depararmos com a Câmara do Porto, mas que edifício é aquele? É capaz de ser o mais bonito que vi na cidade, e olhem que a arquitectura pelo Porto é qualquer coisa. Depois de ficarmos a passear um pouco por ali, fomos em direcção a Cedofeita e claro fomos tentando encontrar um bom restaurante para provarmos a verdadeira Francesinha, a mais famosa e que todos falam (pelo menos por um preço razoável) é a francesinha do Café Santiago, durante a hora de almoço ou chegam muito cedo ou convém mesmo reservar uma mesa, mas como não tínhamos certeza se serviam francesinha vegetariana optámos por um restaurante perto de Cedofeita, Café Célia que ficou bastante aprovado.

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Depois do almoço e com a chuva a ameaçar optámos por ir beber um café e um chá para digerir melhor a francesinha, num espaço que fica mesmo em frente ao restaurante, o Quintal Bioshop, para além de um café bem agradável ainda é uma loja biológica, infelizmente o tempo não estava convidativo, mas na parte de trás do espaço havia uma esplanada muito, mas muito apetitosa.

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Infelizmente o tempo não nos deu muitas tréguas e por isso a nossa tarde foi passada de café em café, com muita conversa e alguns planos para o futuro, o bom é que conhecemos vários sítios bem agradáveis para o lado de Cedofeita, incluindo o café da Embaixada de Lomografia do Porto, que é óptimo para ficar numa tarde de sábado chuvosa a beber um copo de vinho e a botar conversa para fora, que foi exactamente isso que fizemos, eheheh.

Durante as minha pesquisas um dos lugares que mais tinha curiosidade em visitar era a Miss Pavlova, que bom aspecto tinham todas as fotos que vi, mas como não queríamos andar à chuva, acabamos por ir comer um Red Velvet com creme de caramelo ao Café Moustache logo ali ao lado.

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Yay, Porto! #4 – Mercado do Bolhão e dia chuvoso

Com umas tréguas da chuva decidimos ir andando em direcção a casa, afinal estávamos do outro lado do Porto, e quase a chegar e já com alguma fome, fomos atraídos por uma promessa de arroz de polvo, no Restaurante Poveiros e confesso que naquela altura era mesmo aquilo que precisava, depois de algum cansaço e um dia bem cinzento não estava muito animada, e aquela comidinha caseira fez milagres, acabamos por não pedir arroz de polvo porque infelizmente já não havia, eu pedi filetes de pescada com arroz e salada e o João ficou pela bifana no prato, e acreditem em mim, se estão a planear uma visita ao Porto e querem comer bom, barato e ainda com muita simpatia não podem deixar de passar pelo Poveiros, ah e para sobremesa peçam Amor-Homem, acreditem em mim que não se vão arrepender, é um meio-termo entre molotof e pudim, e é mega delicioso. =D

Depois de ficarmos por ali um tempo, era tempo de ir para casa descansar e preparar o nosso último dia. Infelizmente não temos fotos nenhumas da tarde e da noite, podem perceber porquê, eheheh.

Author

Fotógrafa e Criadora de conteúdo.

Deixa um comentário

4 × three =